Páginas

22 maio 2019

[Game Review] What Remains of Edith Finch (PS4)


Lançamento: 2017
Plataforma: Windows, Playstation 4 e Xbox One
Gênero: Aventura, "filme interativo"
Produtora/Distribuidora: Giant Sparrow, Annapurna Interactive


   What Remains of Edith Finch é o tipo de jogo de aventura que eu gosto de categorizar como "filme interativo", assim como já falei de Until Dawn, Beyond Two Souls, entre outros. É um tipo de jogo que possui um enredo mais carregado, e a parte mais importante dele sem dúvidas é seu roteiro, possuindo uma jogabilidade bem simples para se apreciar a história. Porém, o jogo do post está bem longe de ser parecido com os dois citados acima. 


  Simples, detalhista e cativante, acho que são essas palavras que melhor descrevem esse jogo. Na pele de Edith Finch, nós vamos para a casa onde a garota viveu até seus onze anos e retorna pela primeira vez aos dezessete, depois de herdá-la de sua mãe, que a deixou apenas com uma chave, sem dizer o que ela abria.



  A casa fica na Ilha Orca, é um casarão de formato um tanto excêntrico. Bonito, toda feita em tijolos e madeira, com uma bagunça e livros espalhados por toda parte. O cenário é bem bonito e tudo bem detalhado, fazendo o jogador perder um bom tempo apenas o apreciando (o recurso de tirar screenshots no PS4 nunca foi tão usado).


  Não sabemos muito deu sua história no começo, estamos lá para isso, a casa foi deixada as pressas na "ultima noite" e ao retornar, a mesma bagunça continua lá. As portas de todos os quartos foram seladas por sua mãe após um trágico incidente, mas sua bisa Edie colocou olho mágico em cada um dos cômodos. Cada cômodo é o quarto de um Finch que morou ali, seus bisos, seu avô, tios avós e tios. E, ao olhar em cada olho mágico, é como se o tempo tivesse parado dentro desses quartos. pequenos museus conservando a memória desses parentes distantes. Nada ali é alterado, conforme a família aumenta, a casa aumenta também, sua aparência excêntrica se identifica bastante com a família que viveu nela.


   A vida da família Finch não foi perfeita, ela enfrentou muitos problemas, e é sobre isso que o jogador vai descobrir. Conforme o jogo avança, mais conhecemos sobre os integrantes dessa intrigante família, e o processo é acompanhado com um caderno de anotações, com uma árvore genealógica e retratos de seus parentes.


  A  jogabilidade é simples e eficaz, o jogo é em primeira pessoa, tudo o que é preciso fazer é andar pelo ambiente com o analógico direito, mover a câmera com o esquerdo, aproximar a visão com L2 e executar ações com R2, dependendo da atividade o analógico direito terá outras funções. Tudo o mais simples para a história fluir naturalmente, sem travas, e contar sua história. As legendas colaboram aparecendo se misturando ao cenário, flutuando em qualquer parte da tela e interagindo com a movimentação.


  Não ficamos apenas na pele de Edith, nos transportamos através do tempo e vivemos a vida de cada personagem, cada membro da família, cada um com suas histórias e fantasias. Não sabemos ao certo o que é real e o que não é, e isso não importa.



  Eu, pessoalmente, sempre tive bastante ligação com a minha família. A família pode ser nosso maior alicerce, mas também tem suas fraquezas, por isso me senti muito emocionada com o jogo. Me prendeu demais, cada detalhe, cada lembrança, um turbilhão de emoções. Eu costumo definir esse tipo de jogo como "filme", mas a verdade é que What Remains of Edith Finch é imersivo demais, te transporta para outro mundo, ele é um livro disfarçado de jogo.


  O game foi ganhador dos prêmios "Melhor Narrativa" do The Game Awards em 2017 e "Melhor Jogo" do BAFTA Video Games Awards em 2018. Foi disponibilizado gratuitamente pela Playstation para jogadores com assinatura PSN Plus. Foi apenas por isso que conheci o jogo. Apenas o baixei e abri sem nem saber do que se tratava, jamais poderia imaginar o que esse jogo me traria. Por isso já aconselho, jogue, você não irá se arrepender.

Mais alguns screenshots:


 








  Toda a equipe que trabalhou no jogo aparece em suas fotos de criança nos créditos.

Troféus da PSN:
O jogo não possui troféu Platina, mas possui alguns troféus fáceis de serem feitos, se ver quais são antes, dá para fazer jogando uma vez e repetindo algumas uma ou duas cenas depois.



Adquira o game:

2 comentários:

  1. Muito interessante, Eu nunca joguei algo do genero, o que mais me chamou atenção foi o Life is Strange... Boa análise com selo T de TaryBelmont!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada cara! Esse tem pra PC, mas se tu por ex pegar pra ver no Youtube dá também, já que ele é todo linear, particularmente eu preciso fazer isso com o controle na mão, mas tem quem curta assistir gameplay.

      Bites!

      Excluir