Páginas

07 maio 2017

[Livro] Entrevista com o Vampiro


Série: Crônicas Vampirescas
Volume: 1 - Entrevista com o Vampiro
Ano: 1992
Autor: Anne Rice
Editora: Rocco
334 páginas
Sinopse:
  "Este romance começa com um jovem repórter entrevistando Louis de Pointe Du Lac, nascido em 1766 e transformado em vampiro por Lestat. Louis conta sua história aos ouvidos atentos do repórter, revelando segredos do mundo dos vampiros."







   Louis é um vampiro franco-americano que possuía uma fazenda em Louisiana, Pointe Du Lac, onde cuidava dos negócios e de sua família: sua mãe, uma irmã e um irmão. Seu irmão se torna um fanático religioso e insiste que Louis deve doar a fortuna da família à Igreja, após uma briga entre os dois, o irmão morre caindo da escada. A culpa e infelicidade consomem Louis de uma forma que passa a viver a vida com distrações, saídas a noite, bebedeiras, prostitutas, etc. Sendo um alvo bastante convidativo, finalmente é atacado, mas não por um ladrão ou assassino. Por um vampiro.

   Lestat é descrito por Louis como um homem de beleza inumana, pele perfeita, loiro, com movimentos quase felinos. Apesar de não ser humano, tinha problemas bastante mundanos, um pai quase cego e idoso para cuidar, e questões financeiras. Seu interesse em Louis foi principalmente seu capital. Lestat era um professor terrível, não tinha nenhuma sensibilidade ao pequenos prazeres e detalhes da transformação, muitas vezes sendo ignorante e impaciente. Uma pessoa de muitos caprichos e pouco intelecto ou interesse filosófico.



   Louis se mostrou totalmente o oposto, tudo em sua transformação lhe fascinava, todas as novas sensações, sons, cheios, cores, tudo era uma experiencia nova e tudo era interessante e importante. Até mesmo sensações do primeiro assassinato, do primeiro crime, da primeira sensação de fome foram destruídas pela incapacidade de Lestat em lhe ensinar. Fazendo com que Louis se desencantasse totalmente por ele.

   Também chegaram os questionamentos e inquietações. Para Louis, aquilo era uma maldição, enquanto para Lestat, um dom, se divertia com a dor que causava, enquanto Louis lutava ao máximo contra seu desejo de matar. E como cresceu religioso, tudo era dúvida, o que os vampiros eram? Porque tais criaturas existiam perante Deus? Haveria perdão? Era um castigo? Existiriam outros pelo mundo? E Lestat em nada ajudava, apenas reprendia e desdenhava. Não respondia suas perguntas e mal tinha sensibilidade para entende-las. Não atendia aos pedidos de Louis de procurar por outros, muito provavelmente pelo medo de perder seu teto e fonte de renda.


   Louis, depois de tanto lutar contra a fome, cede se alimenta de uma garota de cinco anos e abandona o corpo, acreditando que a havia matado. Lestat se aproveita da situação ao perceber que a garota ainda vivia e, numa tentativa de manter Louis preso a ele, a transforma em uma vampira. Claudia, como foi renomeada, é, sem dúvidas uma das personagens vampíricas mais interessantes já inventadas, uma criança, transformada em uma criatura da noite cedo demais para entender a importância da vida e morte, a moral e a ética em relação a um assassinato, se tornando uma criatura de aparência doce, angelical, porém com um instinto assassino e cinismo arrepiantes.

   Claudia por mais que tivesse "puxado" o gosto por morte de Lestat, também puxara a sensibilidade filosófica e questionadora de Louis, fazendo com que Lestat perdesse seu trunfo sobre ele. Com o passar dos anos, Claudia amadurece como mulher, se tornando uma mente ainda mais sínica, perigosa e sensual, presa em corpo de criança. O desdem por Lestat e amor por Louis crescem, intensificando o ambiente.






    Em Paris,  eles conhecem o Teatro dos Vampiros, novas personagens surgem para completar a trama, entre elas, Armand, um vampiro ruivo, sensual, cruel e ao mesmo tempo sensível, que partillha do interesse filosófico de Louis, uma das chaves do enredo.

   Um toque de erotismo homossexual bem sutil de forma que não se vê em nenhuma outra obra, Anne Rice tem uma escrita delicada e muito, muito rica, cada detalhe é precioso e as personalidades são muito bem descritas.  A dinâmica de como a obra é narrada por Louis e em momentos interrompida pelo entrevistador, fazendo a narrativa ir de primeira à terceira pessoa, apesar de em certo momento ela dar uma desaparecida para voltar no final. Em alguns pontos o livro se torna um tanto monótono, cansativo, porém tudo e compensando, e o livro se torna uma obra-prima que dá inicio às "Crônicas Vampirescas" e Lestat se torna um ícone vampírico.


  O livro possui uma adaptação cinematográfica de 1994 estrelando Tom Cruise como Lestat, Brad Pitt como Louis, Kristen Dunst como Claudia, e Antônio Bandeira como Armand. (Sei que não é novidade pra ninguém, mas é bom deixar a nota não é?). O filme é ótimo, apesar de não passar nem metade das sensações da obra literária e da linguagem dos diálogos ser bem mais simples , A atuação é impecável, principalmente Dunst com seus 12 anos (Claudia é complexa demais para ser interpretada por uma criança cinco anos, como deveria ser pelo livro). Apenas Antonio Bandeiras que magoa demais no papel de Armand.


Algumas capas:





Retrato Steve:


(Dessa vez ele quis fazer cosplay de Lestat)

6 comentários:

  1. Eu conheci o livro pelo filme (que aproposito gostei bastante, mas nada se compara à um livro hehe). Entrevista com o vampiro, está na minha lista de leitura desse ano <3

    Ps:Adoro suas resenhas *-* e amei o steve de Lestat <3

    Bites

    http://livrodeumanerd.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme é muito bem feito, mas os diálogos não chegam nem aos pés do livro. E nem tem o que falar do Bandeiras de Armand...

      Obrigada flor <3

      Bites!

      Excluir
  2. Babe, primeiro quero dizer que estava com saudade de visitar o seu cantinho, viu? Sobre o livro, confesso que morro de curiosidade de ler e está na minha lista! Eu sempre amei o meu e ele é o meu favorito do gênero vampiresco, sabe? <3

    Beijos da Supimpa Girl

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem-vinda de volta flor <3 Esse livro é fantástico, não consigui descrever o quanto essa obra é maravilhosa na resenha.

      Bites!
      Tary Belmont

      Excluir
  3. Esse eu vi o filme quando criança (baita familia lol). Acredito que ví todo apesar da cena do teatro ser forte.
    Ironicamente, ou não, justamente a cena do teatro me travou para terminar de ler o livro. Era mais novo, mas com certa idade na adolescência, mas aquele diálogo antes da derrocada com a moça me paralisou.

    Eu recomendo ambos. Lestat cravou seu lugar na história dos vampiros famosos e "fundou" dos ventrue haha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquela cena é muito forte, me fez amar e amar odiar o Armand. No livro a narrativa e os diálogos são ainda mais pesados e ricos. E muito boa a referencia com o A Máscara.

      Bites!

      Excluir