Páginas

17 janeiro 2015

[Tary's Library] Dragões de Éter: Círculos de Chuva


Série: Dragões de Éter
Volume: 3: Círculos de Chuva
Autor: Raphael Draccon
Editora: LeYa
Ano: 2010
536 páginas
Sinopse:
  Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas-amazonas. Um dia, porém, algumas delas se voltam contra as antigas raças. E assim nasce a Era Antiga.
  Hoje, Arzallum, o Maior dos Reinos, tem um novo Rei e vive a esperada Nova Era.
  Coisas estranhas, entretanto, nunca param de acontecer...
  Dois irmãos sobrevivente a uma ligação com antigos laços de magia negra descobrem que laços dessa natureza não se rompem tão facilmente e cobram partes da alma como preço. Uma sociedade secreta renascida com um exercito de órfãos resolve seguir em frente um plano com tudo para dar errado em busca do maior tesouro já enterrado, sem saber o quanto isso pode mudar a humanidade. O último príncipe de Arzallum viaja para um casamento forçado em uma terra que ele nem mesmo sabe que é possível existir. disposto a realizar um feito que ele não sabe se é possível realizar. Uma adolescente desperta em iniciações espirituais descobre-se uma mediadora com forças além do imaginário.
  E um menino de cinco anos escala uma maldita arvore que o leva aos Reinos Superiores, ferindo com isso tratados políticos e dando início à Primeira Guerra Mundial de Nova Ether.
  E mostrará que o mundo nunca para de mudar. 




Resenha:

  Bom, Sr Draccon, não consegui ler antes de virar o ano, mas irei contar o que eu achei.
  Primeiro, derramei lágrimas no capitulo 4. Não posso contar o que aconteceu porque seria spoiler e sempre evito ao máximo mesmo isso deixando minha resenha mais vazia e se tratando de uma sequência, que por sua vez a própria sinopse já é spoiler para quem não leu o anterior. Mas foi um personagem que me cativou e senti um baque nesse capitulo. E fiquei triste que infelizmente essa morte acabou ficando um pouco de lado, entendo que a história teve um curso a seguir, apenas anseio por próximos volumes que imagino que virão e que tratarão dela da maneira que merece.
  Outra coisa que gostei foi a sutil referencia a Thundercats. 
  Não confio no sr. Casanova, talvez por motivos injustos, mas não confio. 
  E também não perdoei Axel Branford. 
  E admiro Rei Anísio, mas as vezes alguns métodos dele me assustam, entendo seus motivos, mas não gosto dos meios. 
  Também anseio por mais detalhes de um certo romance entre um guerreio oriental e uma campeã de Arzallum (que agora para mim se tornam meu segundo casal literário favorito, perdendo apenas para Éowyn e Faramir) 

  Neste livro. nossos personagens retornam, ainda mais maduros, mais bravos. É incrível ver o quanto eles amadureceram no decorrer desses três volumes. Acho que finalmente deixei de ter uma imaginem infantil demais de João e Ariane e os vi mais velhos (acho que sempre os imaginei pequenos demais, mas não sei porque, acho que o jeito que eu imaginava a Ariane falando fazia isso).
  
Mas além deles, novos personagens aparecem. Dentre eles, novos piratas, novas lendas do mar, elfos, elfas-amazonas, meninos perdidos, Jack e o Pé de Feijão (aqui é conhecido como João, mas na história original é Jack, e imagino que seria ruim dois João na mesma história), e Peter Pan um pouco diferente do que conhecemos. E, finalmente, Dragões. Não que a presença deles fosse tão obrigatória, mas lembro que antes mesmo de começar a ler amigos meus reclamaram que havia dragões no nome mas não havia no livro. Então, sim, tem dragões no livro.

   Muito se é aprofundado na magia existente em Nova Ether, personagens importantíssimos discutem assuntos importantes, que fazer até o leitor parar para pensar. Determinadas brechas são abertas, alguma talvez sejam da minha cabeça, outras talvez tenham sido abertas para serem fechadas propositalmente mais para a frente, ou não. 

   Esse livro, acaba sendo um pouco mais pesado que os anteriores, na minha opinião. Todos os volumes possuem momentos ruins, perdas, mortes, lutas. Mas este há guerra, e guerras sempre terminam de tirar a inocência de tudo. Não gosto de guerras, sempre penso nas mortes, nos estragos materiais e espirituais que traz as pessoas, e na bagunça que ela faz, e o tempo e esforço para arrumá-la, mas ainda assim, como leitora, a guerra sempre trás fortes emoções e esta não foi diferente. Um reino encurralado faz manobras impensáveis. E devo dizer que Primo Branford é como um Ned Stark, que continua surpreendendo mesmo depois da morte (talvez até melhor que um Ned)

  E sei que o que falarei agora é meio clichê. Mas não posso deixar o velho assunto de patriotismo do lado e lembrar que o  Sr. Draccon é uma autor nacional, e sua obra mostra o quando uma obra brasileira pode ser tão boa quanto uma estrangeira. Para mim, Dragões de Ether foi tão tocante quando Senhor dos Anéis, As Crônicas de Nárnia e As Crônicas de Gelo e Fogo. E Draccon fica no meu coração ao lado (ou até alguns centímetros a cima) de Tolkien, Lewis e Martin. 

  Eu não estava bem neste tempo que li este livro, não se preocupem, nada grave, inclusive sei que é algo que futuramente me ridicularizarei por ficam mal por essa besteira, mas ainda assim isso não me impede de me sentir mal, desanimada e sem forças. E, mesmo não sendo minha personagem favorita, vi uma jovem de um jeito diferente, uma jovem bonita e inteligente, uma sobrevivente à uma bruxa canibal, uma menina sem poderes mágicos e que não empunha espada, mas ainda sim dona de grande coragem e força. Me vi um pouco nesta garota, tive vontade de estar ao seu lado, compartilhei um pouco da dor dela, não ma mesma intensidade, mas senti algo que ela sentia. E foi nesse período em que eu não estava bem que um professor excêntrico disse para essa garota algo que vai ficar na minha cabeça: "A dor é inevitável. O sofrimento opcional". Sabe aquela hora que você ouve o que precisava ouvir? Foi essa. E assim fui encontrando força para seguir em frente, para acreditar, para sonhar. Para simplesmente percorrer o círculo. 

Outras Capas:




Outros livros do autor:


De brinde:

Eu e Steve com Raphael Draccon na Bienal do Livro SP 2014

2 comentários:

  1. já tinha ouvido falar desse livro e agora estou ainda mais curiosa para lê-lo,a história parece mesmo ser muito boa e dos tipos que eu gosto de ler.
    Choices

    ResponderExcluir
  2. oi tary, amiga so sei ler livros pagina por pagina e ate o final se for romance kk <3 mas esse livro é muito interessante e vc é lindaa adorei seu estilo <3
    tary me visite tambem:
    gilvaniaevans.com

    ResponderExcluir